Sacramento da Reconciliação

Sexta-feira (13)
Ig. Matriz | 18h00 - 19h30

Ex. de Consciência 1  Ex. de Consciência 2
(Quem desejar confessar-se fora dos horários estabelecidos deve articular com o pároco, pois está sempre disponível)

Intenções do Papa

Dezembro

O FUTURO DOS MAIS JOVENS (Universal)

Para que cada país tome as medidas necessárias para fazer do futuro dos mais jovens uma prioridade, sobretudo daqueles que estão a sofrer.

 

O Vale de Bougado, outrora intitulado «Terras do Porto», é uma das oito freguesias do recente concelho da Trofa, o segundo território mais extenso e uma das freguesias mais populosas. Situa-se a poente de S. Martinho de Bougado, na margem esquerda do rio Ave. Aqui a agricultura e a pecuária têm um papel importante na economia local; contudo, a indústria - sobretudo, a têxtil, a eletrónica, a construção de máquinas agrícolas e outras metalomecânicas - e o comércio - tradicional e comércio grossista - têm-se implantado significativamente. Como todas as outras freguesias, Santiago de Bougado tem uma história quase milenar. Dos vestígios encontrados, destacam-se os dois marcos miliários em exposição permanente na Casa da Cultura da Trofa (Santiago de Bougado).

A igreja matriz, considerada de grande interesse público, é um dos principais monumentos de atracão turística. A sua construção data de 1754 e o projeto é atribuído a Nicolau Nasoni (o mesmo arquiteto que projetou a Igreja dos Clérigos no Porto).

Com um rico património cultural de natureza religiosa, Santiago de Bougado tem ainda para mostrar a Capela de Nossa Senhora do Desterro, no lugar do Souto de Bairros (erguida em 1649 e, posteriormente, sujeita a aumentos e alterações), junto à qual sobressai uma lápide de granito com uma inscrição alusiva às Invasões Francesas (1809); a de Nossa Senhora da Livração (construída em 1803, segundo uma lápide patente na frontaria), a moderna capela de S. Gens de Cidai e a capela de Santa Luzia (documentada desde 1678).
Outros lugares dignos de visita são a Azenha de Bairros (única em laboração no concelho da Trofa), o Miradouro da Nossa Senhora da Alegria e o monumento a Cristo Rei, a Casa da Cultura da Trofa e as belíssimas casas solarengas e pequenos monumentos (Alminhas da Peça Má, Alminhas de Bairros, Cruzeiro Paroquial de Santiago de Bougado, Cruzeiro da Nossa Senhora do Desterro, etc…) que testificam o vasto património existente nestas terras!

Olhando mais para o passado desta terra, sabemos que o território que hoje compõe a localidade de Santiago de Bougado, segundo a tradição, passou a ser povoado por habitantes sedentários a partir do século I da Era de Cristo. Os Romanos fixaram-se na cidade de Palmazão, em Alvarelhos e enviaram os seus escravos para o cultivo das férteis agras que se situam no fundo oriental da serra que haveriam de batizar com o nome de Cidai. Aí se fixaram fundando a aldeia. Depois fizeram a ligação ao rio Ave e fundaram a aldeia da Maganha. Seguram-se as aldeias de Lantemil, Bairros e Lagoa. A aldeia de Cedões viria a ser fundada no século X e a aldeia da Trofa no século XV. Ainda hoje são estas as povoações de Santiago de Bougado. No século VI é criada a paróquia de Santiago de Bougado. Pelas Inquirições de D. Afonso III ficou-se a saber que Santiago de Bougado era uma realidade como freguesia, tendo a sua igreja implantada na aldeia da Lagoa. As Inquirições de D. Afonso III referem a existência de cinquenta fogos no ano de 12582 . Pela Carta de Foral emitida por D. Manuel I referente às Terras da Maia do ano de 1519, Santiago de Bougado fica enquadrado no Concelho da Maia e aí permaneceu até ao ano de 1836, altura em que passou a integrar o Concelho de Santo Tirso até ao ano de 1998. Nessa data Santiago de Bougado passou a integrar o Concelho da Trofa.

A primeira Junta da Paróquia foi instituída no ano de 1836 e até aí quem dirigia os destinos desta terra era a Confraria do Subsino que se reunia no fim da Missa do Povo à Mesa da Audiência, local onde era eleita bienalmente para tomar todas as decisões de interesse coletivo paroquial. A partir do ano de 1911, com a publicação da Lei de separação entre a Igreja e o Estado, os destinos de Santiago de Bougado, no âmbito civil, passaram a ser dirigidos por uma junta de freguesia. No ano de 1984 Santiago de Bougado, juntamente com S. Martinho de Bougado, passaram a constituir a Vila da Trofa, título que permaneceu até ao ano de 1993, altura em que a vila foi elevada à categoria de cidade.
Foi sede de uma freguesia extinta (agregada) em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, para, em conjunto com São Martinho de Bougado, formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Bougado (São Martinho e Santiago).

Actualmente, Santiago de Bougado é uma localidade portuguesa do concelho da Trofa, com 14,5 km² de área e 6 422 habitantes (2011) . Densidade: 442,9 hab/km².