Sacramento da Reconciliação

Sexta-feira (4)
Ig. Matriz | 19h00 - 20h30

Ex. de Consciência 1  Ex. de Consciência 2
(Quem desejar confessar-se fora dos horários estabelecidos deve articular com o pároco, pois está sempre disponível)

Rubrica Semanal

 

Eu creio, Senhor: Tu és a luz...

 


Pe. Bruno Ferreira

Marcação de intenções de Missa

Sacramento da Eucaristia

O que nos diz o Catecismo da Igreja Católica

Resumindo:

1406. Jesus diz: «Eu sou o pão vivo descido do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente [...] Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna [...], permanece em Mim, e Eu nele» (Jo 6, 51.54.56).

1407. A Eucaristia é o coração e o cume da vida da Igreja, porque nela Cristo associa a sua Igreja e todos os seus membros ao seu sacrifício de louvor e de acção de graças, oferecido ao Pai uma vez por todas na cruz; por este sacrifício, Ele derrama as graças da salvação sobre o seu corpo, que é a Igreja.

1408. A celebração eucarística inclui sempre: a proclamação da Palavra de Deus, a acção de graças a Deus Pai por todos os seus benefícios, sobretudo pelo dom do seu Filho, a consagração do pão e do vinho e a participação no banquete litúrgico pela recepção do corpo e do sangue do Senhor Estes elementos constituem um só e mesmo acto de culto.

1409. A Eucaristia é o memorial da Páscoa de Cristo, isto é, da obra do salvação realizada pela vida, morte e ressurreição de Cristo, obra tornada presente pela acção litúrgica.

1410. É o próprio Cristo, sumo e eterno sacerdote da Nova Aliança, que, agindo pelo ministério dos sacerdotes, oferece o sacrifício eucarístico. E é ainda o mesmo Cristo, realmente presente sob as espécies do pão e do vinho, que é a oferenda do sacrifício eucarístico.

1411. Só os sacerdotes validamente ordenados podem presidir à Eucaristia e consagrar o pão e o vinho, para que se tornem o corpo e o sangue do Senhor:

1412. Os sinais essenciais do sacramento eucarístico são o pão de trigo e o vinho da videira, sobre os quais é invocada a bênção do Espírito Santo, e o sacerdote pronuncia as palavras da consagração ditas por Jesus durante a última ceia: «Isto é o meu corpo, que será entregue por vós... Este é o cálice do meu sangue...».

1413. Pela consagração, opera-se a transubstanciação do pão e do vinho no corpo e no sangue de Cristo. Sob as espécies consagradas do pão e do vinho, o próprio Cristo, vivo e glorioso, está presente de modo verdadeiro, real e substancial, com o seu corpo e o seu sangue, com a sua alma e a sua divindade (254).

1414. Enquanto sacrifício, a Eucaristia é oferecida também em reparação dos pecados dos vivos e dos defuntos e para obter de Deus benefícios espirituais ou temporais.

1415. Aquele que quiser receber Cristo na Comunhão eucarística deve encontrar-se em estado de graça. Se alguém tiver consciência de ter pecado mortalmente, não deve aproximar-se da Eucaristia sem primeiro ter recebido a absolvição no sacramento da Penitência.

1416. A sagrada Comunhão do corpo e sangue de Cristo aumenta a união do comungante com o Senhor perdoa-lhe os pecados veniais e preserva-o dos pecados graves. E uma vez que os laços da caridade entre o comungante e Cristo são reforçados, a recepção deste sacramento reforça a unidade da Igreja, corpo Místico de Cristo.

1417. A Igreja recomenda vivamente aos fiéis que recebam a sagrada Comunhão quando participam na celebração da Eucaristia; e impõe-lhes a obrigação de o fazerem ao menos uma vez por ano.

1418. Uma vez que Cristo em pessoa está presente no Sacramento do Altar; devemos honrá-Lo com culto de adoração. «A visita ao Santíssimo Sacramento é uma prova de gratidão, um sinal de amor e um dever de adoração para com Cristo nosso Senhor» (255).

1419. Tendo passado deste mundo para o Pai, Cristo deixou-nos na Eucaristia o penhor da glória junto d'Ele: a participação no santo sacrifício identifica-nos com o seu coração, sustenta as nossas forças ao longo da peregrinação desta vida, faz-nos desejar a vida eterna e desde já nos une à Igreja do céu, à Santíssima Virgem e a todos os santos.

MARCAÇÃO DE INTENÇÃO DE MISSA:

As intenções de missa devem ser marcadas sempre no Cartório Paroquial ou imediatamente antes das Eucaristias na sacristia. Podem marcar a intenções através do nosso telefone do Cartório Paroquial (252100701), pelo telemóvel (931327473) ou por e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Assim sendo:

1. Pode-se marcar as intenções que desejarem em todas as Eucaristias com excepção da missa vespertina de sábado, às 16h30, é celebrada sempre por todo o povo, e nas celebrações do Tríduo Pascal (Quinta-Feira Santa, Sexta-Feira Santa e Vigília Pascal).
2. A cada intenção particular corresponde sempre a oferta mínima de 10 euros, conforme está estipulado pela diocese. Esta oferta livre deve ser feita imediatamente antes ou depois da celebração da eucaristia prevista, na sacristia ou no cartório paroquial.
3. A paróquia aceita também a celebração de Trintários Gregorianos (30 missas por uma intenção) mas neste caso serão enviados para  a diocese que as mandará celebrar por sacerdotes mais disponíveis e carenciados. Cada Trintário Gregoriano tem estipulado o valor de 350 euros.
4. As celebrações de “7º dia”,  “30º dia” ou Ofícios de Defuntos serão realizadas dentro dos horários das missas diárias.

Horários:

Segunda-feira a Sexta-feira:
  • 19h30 - Igreja Matriz (Horário de Inverno)
  • 20:30h - Igreja Matriz (Horário de Verão)
Sábado:
  • 16:30h - Igreja Matriz*
  • 20:00h - Igreja Matriz
Domingo:
  • 08:00h - Capela de Nossa Senhora do Desterro (Bairros)
  • 09:30h - Capela de Nossa Senhora da Livração (Lantemil)
  • 12:00h - Igreja Matriz
  • 17:30h - Capela de Nossa Senhora da Alegria e São Gens

(*Nos meses de Agosto e Setembro esta Eucaristia fica suspensa)

 

 

Eucaristias

Horários

Segunda-feira a Sexta-feira:
  • 19h30 - Igreja Matriz (Horário de Inverno)
  • 20:30h - Igreja Matriz (Horário de Verão)
Sábado:
  • 16:30h - Igreja Matriz*
  • 20:00h - Igreja Matriz
Domingo:
  • 08:00h - Capela de Nossa Senhora do Desterro (Bairros)
  • 09:30h - Capela de Nossa Senhora da Livração (Lantemil)
  • 12:00h - Igreja Matriz
  • 17:30h - Capela de Nossa Senhora da Alegria e S. Gens

(*Nos meses de Agosto e Setembro esta Eucaristia fica suspensa)