Sacramento da Reconciliação

Sexta-feira | dia 30 | Ig. Matriz
9h00 - 12h00
17h00 - 19h45

Ex. de Consciência 1  Ex. de Consciência 2
(Quem desejar confessar-se fora dos horários estabelecidos deve articular com o pároco, pois está sempre disponível)

Intenções do Papa

Outubro

A missão dos leigos na Igreja (Pela Evangelização)

Rezemos para que, em virtude do batismo, os fiéis leigos, em especial as mulheres, participem mais nas instâncias de responsabilidade da Igreja.

 

1. Carisma

A Acção Católica Rural (ACR) é um Movimento formado e dirigido por leigos jovens e adultos, abrangendo na sua ação adolescentes e crianças. Obedece às caraterísticas gerais da Acção Católica e dedica-se de forma organizada à evangelização e promoção do meio rural, sendo estas ações fruto do método de Revisão de Vida (ver, julgar, agir).

2. Percurso Histórico

Criada em 1922 pelo Papa Pio XI, chega a Portugal em 1933. Relativamente à constituição da Acção Católica Rural (ACR), no princípio havia quatro organizações, sendo duas de jovens e duas de adultos: JAC - JACF - Juventude Agrária Católica, masculina e feminina; LAC - LACF - Liga Agrária Católica, masculina e feminina. Em 1976 a LAC e a LACF deram origem à Acção Católica Rural (ACR). A JAC e a JACF originaram a JARC (Juventude Agrária Rural Católica). A partir de 1983 a ACR passou também a integrar jovens.
Herdeira da antiga Liga Agrária Católica (LAC/LACF) masculina e feminina, a ACR é hoje um Movimento que congrega, nas equipas de base paroquial, equipas diocesanas e a nível nacional, homens e mulheres que caminham apostolicamente em conjunto, tendo-se iniciado, muitos deles, nos Movimentos Juvenis Agrários (JAC/JACF), que foram a sua escola de vida e de apostolado.
Uma etapa significativa na vida da Acção Católica foi a mensagem do Concílio Vaticano II sobre a "Vocação e a Missão dos Leigos na Igreja e no Mundo", em particular o decreto sobre o Apostolado dos Leigos. Este decreto faz a síntese do que os Papas, desde Pio XI, entendem por Acção Católica. Nessa síntese reconhece-se quer o contributo dos bispos de todo o mundo, reunidos em Concílio (1962–1965), quer a própria experiência dos militantes da Acção Católica, que foram afirmando o seu modo peculiar de agir na Igreja e no Mundo.
As Segundas Jornadas Sociais, realizadas em 1993, marcaram a viragem decisiva da ACR para a ação no campo social, essência da sua ação apostólica.
Realizando estas finalidades com a Igreja, cabe aos militantes e dirigentes a tarefa de serem homens e mulheres, jovens e adultos que, com todos os outros do seu meio, protagonizar os acontecimentos do quotidiano e aí testemunharem a vivência dos valores evangélicos da solidariedade e fraternidade cristãs, ligando a Vida com a Fé.

3. Expressão Nacional

A ACR está implantada em 16 Dioceses do território nacional: Angra do Heroísmo, Aveiro, Braga, Bragança, Coimbra, Funchal, Guarda, Lamego, Leiria-Fátima, Lisboa, Portalegre-Castelo Branco, Porto, Santarém, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.
Cada Diocese tem uma Equipa Diocesana e cerca de 100 grupos de base implementados em diversas paróquias das Dioceses mencionadas. Actualmente conta com cerca de 1650 membros por todo o país.


4. Expressão Internacional

A ACR é membro fundador da FIMARC (Federação Internacional de Movimentos de Adultos Rurais), criada em 1964.

5. Outros Itens Importantes

Princípios da ACR:

FORMAR - Fazer formação integral dos seus membros.
PARTICIPAR - Levá-los a colaborar em projectos concretos do meio.
CORRESPONSABILIZAR - Fazê-los assumir responsabilidades.
EVANGELIZAR - Imbuir a vida do espírito evangélico (Ligar a Fé à Vida).

Espiritualidade do Militante da ACR:

Alimenta a sua fé: com oração; com meditação da Palavra; com os Sacramentos (Eucaristia e Reconciliação).
Esclarece a sua fé: com o estudo da Palavra; com o estudo da Doutrina Social da Igreja; com a formação (especialmente a da ACR).
Exprime a sua fé: partilhando a vida do seu meio; fazendo a Revisão de Vida (em Equipa); actuando conforme os princípios do Evangelho; com uma intervenção pessoal e de grupo; nas realidades em que o empenho é necessário; revendo, em grupo, a acção; projectando de novo o seu empenho.
Projectos Concretos:
•    Ajudar a mudar as condições de vida das pessoas (habitação, cultura, tempos livres);
•    Aumentar a solidariedade e melhorar a Segurança Social das populações;
•    Revalorizar as famílias;
•    Integrar e corresponsabilizar os jovens;
•    Promover iniciativas de desenvolvimento e emprego;
•    Iniciar os adolescentes nos princípios da Acção Católica;
•    Recuperar os valores ético-morais;
•    Ajudar a transformar as paróquias em espaços de comunhão e corresponsabilidade;
•    Fazer com que os fiéis assumam os seu direitos e cumpram os seus deveres.

 

Na nossa paróquia este grupo é constituído por cerca de 17 elementos. E tem como actividades na paróquia uma reunião mensal de formação e de revisão de vida (segundo o método ver-julgar-agir), a oração ao dia 16 de cada mês pela ACR; a participação nas procissões da paróquia; a participação nas várias orações da paróquia quando solicitados. Distribuem cerca de 40 revistas do “Mundo Rural” pelos seus membros e simpatizantes.

Secretariado paroquial: Maria de Lurdes Ferreira Reis da Silva (presidente); Maria Angélica Silva Rodrigues (vice-presidente); Armandina La-Salete da Silva Azevedo (secretária); Maria Manuela da Conceição Moreira Neves (tesoureira)

 

NOTA: quem quiser fazer parte deste movimento ou pedir informações deve contactar o Cartório Paroquial ou a coordenadora deste grupo.

LINK: ACR