Sacramento da Reconciliação

Sexta-feira | Ig. Matriz
  18h00 - 20h00

Ex. de Consciência 1  Ex. de Consciência 2
(Quem desejar confessar-se fora dos horários estabelecidos deve articular com o pároco, pois está sempre disponível)

Intenções do Papa

Julho

Universal: Integridade da justiça

Para que todos aqueles que administram a justiça operem com integridade e para que a injustiça que atravessa o mundo não tenha a última palavra.

 

1. Carisma

A Acção Católica Rural (ACR) é um Movimento formado e dirigido por leigos jovens e adultos, abrangendo na sua ação adolescentes e crianças. Obedece às caraterísticas gerais da Acção Católica e dedica-se de forma organizada à evangelização e promoção do meio rural, sendo estas ações fruto do método de Revisão de Vida (ver, julgar, agir).

2. Percurso Histórico

Criada em 1922 pelo Papa Pio XI, chega a Portugal em 1933. Relativamente à constituição da Acção Católica Rural (ACR), no princípio havia quatro organizações, sendo duas de jovens e duas de adultos: JAC - JACF - Juventude Agrária Católica, masculina e feminina; LAC - LACF - Liga Agrária Católica, masculina e feminina. Em 1976 a LAC e a LACF deram origem à Acção Católica Rural (ACR). A JAC e a JACF originaram a JARC (Juventude Agrária Rural Católica). A partir de 1983 a ACR passou também a integrar jovens.
Herdeira da antiga Liga Agrária Católica (LAC/LACF) masculina e feminina, a ACR é hoje um Movimento que congrega, nas equipas de base paroquial, equipas diocesanas e a nível nacional, homens e mulheres que caminham apostolicamente em conjunto, tendo-se iniciado, muitos deles, nos Movimentos Juvenis Agrários (JAC/JACF), que foram a sua escola de vida e de apostolado.
Uma etapa significativa na vida da Acção Católica foi a mensagem do Concílio Vaticano II sobre a "Vocação e a Missão dos Leigos na Igreja e no Mundo", em particular o decreto sobre o Apostolado dos Leigos. Este decreto faz a síntese do que os Papas, desde Pio XI, entendem por Acção Católica. Nessa síntese reconhece-se quer o contributo dos bispos de todo o mundo, reunidos em Concílio (1962–1965), quer a própria experiência dos militantes da Acção Católica, que foram afirmando o seu modo peculiar de agir na Igreja e no Mundo.
As Segundas Jornadas Sociais, realizadas em 1993, marcaram a viragem decisiva da ACR para a ação no campo social, essência da sua ação apostólica.
Realizando estas finalidades com a Igreja, cabe aos militantes e dirigentes a tarefa de serem homens e mulheres, jovens e adultos que, com todos os outros do seu meio, protagonizar os acontecimentos do quotidiano e aí testemunharem a vivência dos valores evangélicos da solidariedade e fraternidade cristãs, ligando a Vida com a Fé.

3. Expressão Nacional

A ACR está implantada em 16 Dioceses do território nacional: Angra do Heroísmo, Aveiro, Braga, Bragança, Coimbra, Funchal, Guarda, Lamego, Leiria-Fátima, Lisboa, Portalegre-Castelo Branco, Porto, Santarém, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.
Cada Diocese tem uma Equipa Diocesana e cerca de 100 grupos de base implementados em diversas paróquias das Dioceses mencionadas. Actualmente conta com cerca de 1650 membros por todo o país.


4. Expressão Internacional

A ACR é membro fundador da FIMARC (Federação Internacional de Movimentos de Adultos Rurais), criada em 1964.

5. Outros Itens Importantes

Princípios da ACR:

FORMAR - Fazer formação integral dos seus membros.
PARTICIPAR - Levá-los a colaborar em projectos concretos do meio.
CORRESPONSABILIZAR - Fazê-los assumir responsabilidades.
EVANGELIZAR - Imbuir a vida do espírito evangélico (Ligar a Fé à Vida).

Espiritualidade do Militante da ACR:

Alimenta a sua fé: com oração; com meditação da Palavra; com os Sacramentos (Eucaristia e Reconciliação).
Esclarece a sua fé: com o estudo da Palavra; com o estudo da Doutrina Social da Igreja; com a formação (especialmente a da ACR).
Exprime a sua fé: partilhando a vida do seu meio; fazendo a Revisão de Vida (em Equipa); actuando conforme os princípios do Evangelho; com uma intervenção pessoal e de grupo; nas realidades em que o empenho é necessário; revendo, em grupo, a acção; projectando de novo o seu empenho.
Projectos Concretos:
•    Ajudar a mudar as condições de vida das pessoas (habitação, cultura, tempos livres);
•    Aumentar a solidariedade e melhorar a Segurança Social das populações;
•    Revalorizar as famílias;
•    Integrar e corresponsabilizar os jovens;
•    Promover iniciativas de desenvolvimento e emprego;
•    Iniciar os adolescentes nos princípios da Acção Católica;
•    Recuperar os valores ético-morais;
•    Ajudar a transformar as paróquias em espaços de comunhão e corresponsabilidade;
•    Fazer com que os fiéis assumam os seu direitos e cumpram os seus deveres.

 

Na nossa paróquia este grupo é constituído por cerca de 17 elementos. E tem como actividades na paróquia uma reunião mensal de formação e de revisão de vida (segundo o método ver-julgar-agir), a oração ao dia 16 de cada mês pela ACR; a participação nas procissões da paróquia; a participação nas várias orações da paróquia quando solicitados. Distribuem cerca de 40 revistas do “Mundo Rural” pelos seus membros e simpatizantes.

Secretariado paroquial: Maria de Lurdes Ferreira Reis da Silva (presidente); Maria Angélica Silva Rodrigues (vice-presidente); Armandina La-Salete da Silva Azevedo (secretária); Maria Manuela da Conceição Moreira Neves (tesoureira)

 

NOTA: quem quiser fazer parte deste movimento ou pedir informações deve contactar o Cartório Paroquial ou a coordenadora deste grupo.

LINK: ACR