Sacramento da Reconciliação

Sexta-feira | Ig. Matriz
  18h30 - 19h30

Ex. de Consciência 1  Ex. de Consciência 2
(Quem desejar confessar-se fora dos horários estabelecidos deve articular com o pároco, pois está sempre disponível)

Intenções do Papa

Maio

A IGREJA EM ÁFRICA, FERMENTO DE UNIDADE (Pela Evangelização)

Para que, através do empenho dos próprios membros, a Igreja em África seja fermento de unidade entre os povos, sinal de esperança para este continente.

 

 

 

O que é a Equipa de Apoio à Liturgia?

A Equipa de Apoio à Liturgia é um grupo constituído por pessoas crentes (pároco, diáconos e leigos) que prestam  generosamente o seu serviço à comunidade paroquial no seu aspecto celebrativo.

Como nos diz o Concílio Vaticano II, estão em ordem a “trabalhar para que floresça o sentido comunitário paroquial, sobretudo na celebração comum da missa paroquial” (SC 42). A sua função é, no geral, buscar e promover a vida litúrgica da comunidade, ou seja, preparar e articular as celebrações em todos os seus aspectos entre: presbíteros, diáconos, fiéis leigos, sacristão, leitores, acólitos, zeladoras, cantores, músicos, ministros extraordinários da comunhão…compete-lhe ainda a organização do ambiente litúrgico, decoração, canto, música, monições, preces...

Funções da Equipa de Apoio à Liturgia.

1.    O cuidado da vida litúrgica paroquial:
Esta é a tarefa mais importante desta equipa dentro da paróquia: preparar, animar e organizar as celebrações em sintonia com o pároco. Isto abarca diversos aspectos:

a)    Elementos materiais: assegurar que a paróquia conte com tudo o necessário para uma celebração digna:

•    Um templo bem organizado, limpo, ordenado, com as devidas condições de luz e audição, com distribuição adequada dos bancos;
•    Um presbitério adequado, altar, ambão, cadeira presidencial;
•    Ornamentos renovados, dignos, limpos;
•    Livros para o presidente, leitores, coro, organistas, etc.


b)    Encontrar mais membros para o grupo e actividades. Os membros desta Equipa de Apoio à Liturgia devem preocupar-se de encontrar, pouco a pouco, mais membros para integrar esta equipa. Isto exige:

•    Buscar e encontrar pessoas que sejam aptas para estes serviços;
•    Ajudá-las a entender e valorizar este serviço; capacitá-las para o realizar bem.


c)    Encontrar mais membros para o grupo e actividades. O sujeito da celebração é a assembleia litúrgica que se reúne para celebrar. Por isso esta deve recuperar toda a sua vitalidade. A constituição de uma assembleia litúrgica requer toda uma pedagogia para que as pessoas reunidas tomem consciência da pertença a uma comunidade. Por isso, é importante o cuidado da celebração, o ambiente que se cria, a introdução preparatória à celebração, as monições, etc…

d)    O desenvolvimento da celebração. Para conseguir que a vida litúrgica da paróquia se desenvolva de maneira adequada esta equipa deve procurar:

•    Que se supere a rotina e a inércia. Não cantar sempre os mesmos cânticos; que cada Eucaristia dominical tenha vários intervenientes e leitores que se intercambiem; destacar algum aspecto da Eucaristia, etc.
•    Que a celebração recolha e expresse a vida da comunidade paroquial, vicarial e diocesana com os seus programas pastorais, as suas inquietudes, necessidades e aspirações.
•    Que a celebração responda aos problemas, necessidades, sofrimentos e alegrias do homem de hoje e do povo.
•    Que nas celebrações se busque um equilíbrio entre a acção comunitária e a participação individual, entre o silêncio e a palavra, equilíbrio entre a observância de normas litúrgicas e a criatividade e a adaptação à comunidade concreta. Devemos acercar-nos, “traduzir” o símbolo e o simbólico, mas com o cuidado de não alegorizar tudo.

2)    A educação litúrgica da paróquia: A Equipa de Liturgia procurará educar liturgicamente a comunidade paroquial:

•    Estudar o conteúdo, a espiritualidade, a linguagem e a dinâmica própria da liturgia e de cada celebração.
•    Para que conheça o sentido das diversas celebrações, em especial da Eucaristia;
•    Para que compreendam a linguagem litúrgica, o conteúdo profundo dos gestos, etc.:

Em primeiro lugar não esquecer a tarefa educadora que se pode realizar através das monições e formações para guiar o povo na sua participação, ajudá-lo a entrar na celebração compreendendo os ritos, dando sentido aos gestos, criando um ambiente de oração e recolhimento.


3)    Preparação das celebrações: Esta é uma das tarefas mais concretas a realizar na Paróquia. A preparação de uma celebração exige:

•    Conhecer bem o sentido da celebração: que todos os participem na celebração saibam o que se vai celebrar e porquê. As celebrações e os tempos litúrgicos não são todos iguais, pois estão dependentes do ciclo litúrgico.
•    Preparar tudo o que é necessário para a celebração. Os elementos materiais (o pão, o vinho…), os elementos da missa (orações, prefácios, orações eucarísticas, cânticos, salmos, etc…), as monições, os guiões das celebrações, etc…
•    Preparação prévia. Todo isso e para não improvisar à ultima hora, é conveniente organizar e distribuir as diferentes tarefas e serviços litúrgicos.

4)    Realização das celebrações: A celebração litúrgica é o cume e a fonte de toda a vida da Igreja, por isso, é o mais importante da pastoral litúrgica.
A Equipa de Liturgia deverá estar atenta a que as celebrações não caiam:

•    Num formulismo vazio, ou seja, numa liturgia onde se observam todas as normas e leis litúrgicas mas onde falta vida, calor, oração, participação interior.
•    Uma rotina onde não se expresse a vida das pessoas e da comunidade.
•    Uma acção onde só participem o presidente e alguns fiéis enquanto o povo assiste passivamente como mero espectador.

Será conveniente que a Equipa de liturgia saiba analisar periodicamente as celebrações da paróquia para assinalar as deficiências que se observam, os defeitos em que se vá caindo, etc. para procurar corrigi-los e melhorando a vida litúrgica.

 

Como se organiza esta equipa?


A função desta equipa é promover toda a ação litúrgica. Isto supõe uma certa coordenação, em que cada elemento da equipa exerça uma função ou ministério. Contudo cabe ao pároco a missão de impulsionar e animar, corrigir e presidir, coordenar e conduzir a unidade dos diversos serviços e ministérios da comunidade cristã.
Para organizar esta equipa de liturgia o coordenador geral tem em conta o seguinte:

•    A preparação remota, formação litúrgica, maturidade e crescimento na fé: Promoção da Equipa de Liturgia e a sua iniciação à Liturgia; orientação geral do seu funcionamento; capacitação humana; capacitação técnica; informação e formação com seriedade; acompanhamento e formação litúrgica, teológica e espiritual. Este grupo de fé deve também viver o amor e a comunhão, o acolhimento e a pertença, e o compromisso cristão compartilhado.

•    A preparação próxima para cada celebração: estudar e dialogar bem as celebrações, analisar e dialogar sobre os textos litúrgicos e o seu conteúdo; determinar todos os seus aspetos técnicos, litúrgicos e humanos; coordenação harmónica dos serviços e ministérios.

•    A avaliação do trabalho realizado: avaliação periódica e próxima do antes e depois de cada celebração litúrgica, avaliar a distribuição dos serviços, dos gestos e dos símbolos; avaliar os objectivos, as metas e os meios.

NOTA: a Equipa de Apoio à Liturgia da nossa comunidade de Bougado (Santiago) é constituída por cerca de 10 elementos e é presidida pelo pároco.